Site em Manutenção
Conteúdo voltado para banco de dados Oracle e SQL Server

Monthly Archive:: julho 2016

Vira e mexe precisamos listar o tamanho dos backups de banco de dados da nossa instância, com a demanda recorrente por essa informação precisei criar um script que lista o nome da base, tamanho com e sem compressão, caminho onde o arquivo foi salvo, taxa de compressão, dentre outros.

O script abaixo é foi utilizado e retorna inúmeras informações úteis:

USE msdb
GO
SELECT
bs.database_name as ‘Database’,
bm.physical_device_name as ‘Caminho’,
CAST(CAST(bs.backup_size / 1000000 AS BIGINT) AS VARCHAR(100)) + ‘ MB’ AS ‘Tamanho do Backup’,
CAST(CAST(compressed_backup_size / 1000000 as BIGINT) AS VARCHAR(100)) + ‘ MB’ AS ‘Tamanho do Backup Comprimido’,
bs.backup_start_date,
CASE bs.[type] WHEN ‘D’ THEN ‘Full’
WHEN ‘I’ THEN ‘Differential’
WHEN ‘L’ THEN ‘Transaction Log’
END AS BackupType,
backup_size / compressed_backup_size as ‘Taxa de compressão’
FROM msdb.dbo.backupset bs
JOIN msdb.dbo.backupmediafamily bm
ON bs.media_set_id = bm.media_set_id
ORDER BY database_name ASC, backup_start_date DESC
GO

Output do comando:

Backup

Como pode ser visto, o backup do banco BDTESTE tem um ganho significativo de economia de espaço quando utiliza a compressão de dados, sendo que seu tamanho cresce naturalmente ao passar dos dias, conforme utilização por parte dos sistemas/usuários.

Hoje irei mostrar como realizar uma instalação do banco de dados MongoDB, um dos melhores produtos da atualidade no quesito NOSQL. O cenário atual consiste em uma máquina virutal com CentOS 7, 1GB de RAM e 4 processadores.

 

1º – Adicionar o Repositório do MongoDB no seu sistema operacional:

vim /etc/yum.repos.d/mongodb-org-3.2.repo

[mongodb-org-3.2]
name=MongoDB Repository
baseurl=https://repo.mongodb.org/yum/redhat/$releasever/mongodb-org/3.2/x86_64/
gpgcheck=1
enabled=1
gpgkey=https://www.mongodb.org/static/pgp/server-3.2.asc

2º – Instalar o mongodb

yum install mongodb-org

Aparecerá a seguinte tela:

MongoDB - Instalação Pacote

 

Feito isso basta digitar: y e aguardar a instalação:

MongoDB-Instalação Pacote - Final

Na imagem acima vimos que o MondoDB foi instalado com sucesso, restando agora apenas algumas configurações para que o mesmo esteja apto a ser utilizado.

3º – Desabilitar o SELinux com o vim:

vim /etc/selinux/config

MongoDB - desabilitgar SELinux

Feito isso basta reiniciar o servidor para as configurações do SELinux fazer efeito e checar se as pastas de dados e log foram criadas com as devidas permissões ao usuário mongod.

Os caminhos são, respectivamente: /var/lib/mongo e /var/log/mongodb, conforme imagens abaixo:

Diretório de dados:

MongoDB- Diretórios

Diretório de logs:

MongoDB- Diretórios_Log

Estes diretórios são definidos pelo instalador do MongoDB e podem ser visualizados/alterados através do arquivo mongod.conf, bem como as configurações de rede e processos. Essa configuração é localizada no diretório: /etc/mongod.conf:

vim /etc/mongod.conf

MongoDB - arquivo de configuração

 

Após a checagem da estrutura de pastas e permissões, vamos inicializar o banco de dados:

 

1º – Startar o serviço do mongoDB:

service mongod start

MongoDB - startar serviço

A imagem acima mostra que o serviço foi startado com sucesso. Outra maneira de checar é rodando  o comando: service mongod status:

MongoDB - checar serviço

Ou então analisando a saída de log no arquivo mongod.log:

tail -f /var/log/mongodb/mongod.log

MongoDB - checar serviço - Log

Nesse caso o serviço subiu normalmente e está só aguardando novas conexões na porta 27017.

 

2º – habilitar o serviço do Mongo para inicializar automaticamente quando o servidor fizer algum reboot. Por padrão ele vem desabilitado, conforme imagem abaixo:

chkconfig –list

MongoDB - checar serviço - inicializacao

 

Para habilitá-lo basta digitar o comando: chkconfig mongod on e checar novamente:

MongoDB - checar serviço - inicializacao - chkconfig

E para finalizar, apresento uma ferramenta para gerenciamento da instância que chama Robomongo, podendo ser baixada diretamente no site e pode ajudar muito no gerenciamento da instância:

MongoDB - teste Mongo

Por hoje é só, nos próximos artigos vamos explorar os recursos do banco de dados e alguns truques para gerenciamento do banco.